Glossário de Produtos

AIT – Advanced Intelligent Tape

AME – Avançado Metal Vaporizado (Advanced Metal Evaporated

BACK’UP – É a regravação que você executa regularmente com fitas DATA CARTRIDGES, a fim de preservar seus dados.

BINDER– Aglutinante

BLACK WATCH – Camada de Proteção que protege a superfície da fita contra perigosas partículas do pó.

BLOCO LÍDER – Método de transporte de fita em unidade de disco.

BOT – Início da fita para gravação de dados (Begining of tape).

CAPACIDADE NATIVA – O volume total de bits e bytes que podem ser utilizados por um dispositivo de armazenamento.

CD – Compact Disc

CD-R – Compact Disc Recordable

DAT – Digital Áudio Tape

DATA CARTRIDGE – Cartucho de Dados.

DC6525 – Compatível com o padrão QIC-525. Armazena até 525 MB, e possui a fita com o comprimento de 1020 pés.

DDS – Digital Data Storage

DENSIDADE – Parâmetro que quantifica o volume de informações que é armazenado em determinado comprimento da fita. Normalmente expresso em bits por polegada.

DLC – Carbono Similar a Diamante

DLT – Digital Linear tape

DVD – Digital Versatile Disk

DVD-RAM – DVD Random Acess Memory

EOT – (End of Tape) Final da fita

HCL – Ligação Transversal Elevada

HELICOIDAL – Tecnologia desenvolvida para Áudio (DAT) e Vídeo (D8) – Os dados são gravados em trilhas diagonais por cabeças montadas em cilindro giratório, a cada rotação do cilindro,corresponde a gravação/leitura de uma ou duas trilhas.

LTO ULTRIUM (Linear Tape-Open) – Fita Cartucho para BACK’UP

M.O – Magneto Optical Disk

MIR – Media Information Region

MP – Partículas de Metal

MSR – Super resolução Magneticamente Induzida

QIC – Comitê de padronização para fitas 1 /4″ . Conjunto de representantes fabricantes de drives e partes interessadas que encaminham novos padrões e desenvolvimentos para organizações de oficialização de padrões.

RESTORE – Método pelo qual você substitui no disco rígido os dados que foram perdidos,utilizando para isso os dados salvos no BACK UP em uma fita DATA CARTRIDGE.

RETENSION – Retensionamento – A ação importante que você faz ao utilizar um cartucho pela primeira vez.Isto garante que a fita no cartucho adquira as tensões corretas para um contato fita/cabeça adequado e um desempenho livre de erros. O retensionamento compreende o enrolamento da fita desde o BOT até o EOT.

R-MIC – Memória Remota em Fita

SDLT (Super Digital Linear Tape) – Fita magnética de 1 /2″ utilizada para back’up

SLR – Solução Linear escalável (Scalable Linear Recording)

STREAMER – Um drive de fita que grava e lê blocos sem parar entre um bloco e outro

TRACK – Trilha – Uma área linear de fita, ao longo de seu comprimento,utilizado para gravação

WORM – Gravação Única, Leituras Múltiplas

Voltar para o topo